Pular para o conteúdo

Sarah Blasko – The Overture & The Underscore. [download: mp3]

The Overture & the Underscore - Sarah BlaskoA australiana de olhos expressivos, Sarah Blasko, lançou-se em 2004 em carreira solo com The Overture & The Underscore, que reúne canções compostas por ela e seu colaborador, Robert F. Cranny. Apesar de Sarah ter comentado que procurou não delimitar e definir um estilo em sua estréia, deixando-se apenas entregar as possibilidades que surgiram durante sua criação, o ouvinte fica com uma sensação de que, dentro daquela sonoridade pop/rock, há sim uma identidade já sendo desenvolvida – sensação que é provavelmente fruto do contato com suas melodias e letras melancólicas e singelamente poéticas, bem como a impressão obtida ao ouvir sua voz de sensibilidade tão apurada.
Talvez pela consciência do dom que detém, Sarah escolheu privilegiar seu vocal no arranjo de “All Coming Back”, canção que abre o disco e fala sobre uma mulher que reflete sobre como o amor que vive é feito apenas de lembranças e momentos ruins: a instrumentação escassa é alimentada apenas por uma guitarra de acordes quase monotonais e agudos, um piano distante e ocasional e alguma programação eletrônica sutil na ponte melódica. Mas em “Beautiful Secrets”, sobre como podemos nos enganar achando que nossos segredos estão bem guardados, Blasko já apresenta suas melodias bem compostas com uma música mais farta, onde guitarras e baixos de acordes mínimos mas densos dividem espaço com sintetizações metálicas e cintilantes e um loop, fruto de programação, faz a vezes de base rítmica. Parece que não vai sobrar espaço para mais nada, porém Sarah consegue encaixar muito bem a bateria acústica na sequência final da canção e, assim, potencializa a emoção dos seus vocais. Mas na reclamação feita para um homem cujas palavras tem a intenção de lhe causar confusão e culpa, Sarah resolve deixar por um momento a melancolia e injetar mais energia com acordes rápidos de violão e toques cristalinos da guitarra, e incrementa ainda mais “Don’t U Eva” com uma bateria encorpada e furiosa. Porém, logo somos imersos novamente nas melodias e letras agridoces que Sarah mostra compor tão bem: “Perfect Now”, em que uma mulher se prepara para abandonar seu amor enquanto dorme, concluindo que é melhor deixá-lo enquanto tudo é felicidade, é uma balada suave onde violão, bateria, vocais e principalmente a base orquestrada de cordas suscitam a atmosfera harmoniosa dos primeiros trabalhos dos irlandeses do The Cranberries e em “Cinders”, a doçura da programação eletrônica, teclados e vocais contrasta com as letras em que Sarah relembra, com amargor, que não há como esquecer tudo o que aconteceu no passado e simplesmente seguir em frente. Como acontece com frequência no mundo da música, Sarah resguardou-se e deixou o melhor de si só para o final, nas duas últimas faixas do álbum, “True Intentions” e “Remorse”. Na primeira a garota atinge, tanto no vocal quanto na melodia, o crescendo emotivo, a classe e a elegância dignos de uma Nina Persson, e em “Remorse”, sobre pessoas que “parasitam” seus companheiros em uma relação afetiva para abandona-los, indefesos e frágeis, em troca de novas “vítimas”, Blasko pluraliza seu vocal, adicionando mais camadas e vocalizações eventuais ao fundo, enquanto na melodia notas leves e mínimas do piano conferem um tom dramático, as orquestrações sintetizadas promovem reflexos luminosos e a programação eletrônica discreta realça a atmosfera da canção.
É uma estréia e tanto: a menina mostra saber o que faz, exibindo muita segurança em suas melodias e letras que mesclam diferentes matizes de tristezas, rancores, arrependimentos e alguma alegria acidental e temporária. Talvez por confiar tanto em si é que Sarah escolheu estampar a capa de seu primeiro disco com toda a simplicidade possível, em um retrato expressivo que mescla confiança, ironia e ira – a síntese absoluta de seu estupendo The Overture & The Underscore.

rapidshare.com/files/366408929/blasko_-_underscore.zip

senha: seteventos.org

8 Comentários

  1. Zé

    simplesmente adoro ela! 🙂

  2. ~ anderson ~ anderson

    Você poderia postar novamente esse álbum da Sarah Blasko? Eu só o encontrei disponível e não estou conseguindo baixar porque o gigasize está dando erro. Por favor 🙂 agradeço desde já! abraço.

  3. ~ anderson ~ anderson

    Você não sabe o quanto me faz feliz com esse link 🙂 tô completamente apaixonado por Sarah Blasko desde que ouvi o segundo álbum dela e esse é muito bom também, procurei muito esse álbum, você não faz idéia x) apaixonado tbm pelo trabalho que você tem com esse blogger e com tudo de ótimo gosto que você posta sempre aqui 😀

    tudo que há de perfeito pra você,
    abraço.

  4. paulo paulo

    olá!

    sou um fã – talvez o mais novo – da sarah. ouvi umas 3 musicas na casa de um amigo semana passada e venho caçando-a pela net. tô com grande dificuldade em achar os cd´s dela. foi qdo me lembrei do seu blog – sempre gostei pelos links “não usuais” e enfoque. gostaria portanto q vc me ajudasse postando esse link novamente assim como o What The Sea Wants, The Sea Will Have.
    grande abraço

    • Sem problemas: já refiz o envio do primeiro disco e arrumei o link no post e lhe passei o link do segundo, que ainda nem tive oportunidade de resenhar.

      • Ótimo ter descoberto o Seteventos e Sarah Blasko com ele !
        poderia me passar o link do segundo disco dela?

        Abração e sucesso !

        • Obrigado pelo elogio. Faço o que posso, dentro da falta de tempo, para manter os 2 blogs com alguma frequência de posts e com textos que tenham alguma relevância – como as resenhas dos discos da Sarah.
          Quanto ao pedido do disco, segue o link por e-mail. 😉

Comente!