Skip to content

Tag: modelos

Me pegue, me mexa, me agrade, me amasse, Cody Shore!

Todo mundo já sabe da minha perdição por aquele moço canadense de quem falo tanto que prefiro nem mencionar mais o nome, mas o meu coração é tão vasto quanta as paisagens da Ásia – os biomas são variados e o espaço serve à muitos. Não fosse assim, eu não teria sido um entusiasta dos belos modelões do The Boy. É, digo isso no passado mesmo, porque na atual conjuntura, ainda mais depois do ocorrido – quem visita o blog sabe -, não tem como você ficar entusiasmado com o site. Temos que admitir. Ao menos por hora…
…o The Boy morreu.
Viva a DNA.
Sim, porque se o site de ensaios brasileiros parece estar selecionando seus modelos em verdadeiros encontros às escuras, a revista australiana DNA está mostrando um senso de seletividade mais apurado. Basta visitar o site oficial da publicação e espiar as capas de cada uma de suas edições mensais para conferir que na maior parte das vezes o escolhido faz jus à honra. Isso, claro, é resultado do trabalho de “mineração” dos editores da publicação: pelas newsletters semanais e pelos posts ocasionais do blog do site da revista percebe-se que o staff da publicação mantém o olhar atento, constantemente vasculhando o que se apresenta para encontrar homens que causem impacto. Embora isso exija esforço e dedicação, não é algo assim tão difícil de manter. E deve-se lembrar que a publicação australiana apresenta mais de um modelo a cada edição mensal impressa – nem estou falando nos vários modelos apresentados no site semanalmente -, enquanto o The Boy se contenta oferecendo apenas um. Coisa sacrificante ficar procurando homens lindos de morrer, né, equipe do Terra? Oh! Quão pesairosa é esta ingrata e árdua tarefa de buscar homens belos detentores de acachapantes doses de sex appeal e charme! Esse pessoal deve ganhar adicional de insalubridade no pagamento, com certeza.
E aí que deste modo a equipe incansável e esperta da DNA, fazendo a varredura de praxe no trabalho dos infindáveis fotógrafos com sites na web, sempre topa com um sujeito que atiça os sentidos. O que mais me chamou a atenção ultimamente foi um cara que figurou em uma sessão de fotos de um tal Simon Le, um moreno de uma beleza, magnetismo sexual e virilidade muito bem conjugados que inspiram coisas impronunciáveis – melhor assim, pra manter o nível dos posts. A produção das fotos não é lá coisa digna de nota, mas o modelo em compensação é um estouro: um rosto perfeito de garotão que te um “quê” de bad boy, esplêndidos olhos azuis, um corpo malhado na medida certa onde destaca-se o peitoral com dois mamilos petulantes e um, digamos, “pacote frontal” capaz de causar comoção religiosa nos domínios divinos – amém!
Este desatino em forma de homem atende pelo nome de Cody Shore e tem, vejam só, apenas 21 anos. Conheço pessoalmente alguém que ao vê-lo logo diria, “muito guri!”. Perguntaria eu: “era pra considerar isso um defeito?”
Sabendo bem que a juventude de Cody passa muito longe de ser um problema, a equipe da DNA tratou logo de garantir o rapaz para a penúltima capa da revista no ano, tentadoramente trajando-o com não mais do que algumas sunguinhas em um ensaio de swimwear no maior clima “me pega porque tô facinho no clube de verão” que usa como setting a piscina de um clube atulhado de homens com o mesmo tipo de traje mínimo. O belo ragazzo surge na capa dividindo espaço com mais um modelo, e no ensaio das páginas da revista ainda aparece outro. O moreno de expressão sempre doce e pelugem delicada distribuída pelo peitoral, que atende pelo nome de Michael, é sem dúvidas bastante atraente, mas para azar dele e do outro rapaz, ambos só servem para adornar a presença incandescente do loiraço, já que a atenção – a minha, ao menos – é raptada pela beleza estúpida de Cody.
Engraçado como demorei a me dar conta de que se tratava do mesmo rapaz do ensaio de Simon Le, já que em sua versão de pele bronzeada e com o cabelo ligeiramente maior e tingido de loiro ele fica um bocado diferente de sua morenice de pele branquinha e cabelo bem curto que é sua sedutora feição original. Apesar de eu preferir ele moreno, o Cody loiro da DNA Pool Party é também muito, muito atraente (afinal, basta olhar qualquer foto que você sente vontade de se arrastar, e arranhar e agarrar os cabelos, o peito, o pijama, os pés ao pé da cama, não?), e ao menos pra mim soa ligeiramente mais gay – e nisso ele acabou me lembrando outro loiro. Nesse caso loiro mesmo, não fruto de produção. Claro que isso pode ser só coisa da minha cabeça de tarado pornógrafo, mas o fato é que ao iluminar o dia mais do que os raios do sol ao abrir um sorriso (pouco aproveitado pela DNA, diga-se) e ser clicado de perfil, ele me lembra vagamente um ator pornô dos mais clássicos nos anos 90 – é bem sutil mesmo, e só nessas duas situações que eu citei, mas lembra. Já fiz esse joguinho aqui uma vez no post de Tiago Botega, e foi bem divertido, por isso vou fazer uma segunda edição pra já. Mas dessa vez vou dar uma dica: então, qual ator pornô americano da produtora Falcon o Cody Shore deliciosamente loiro lembra? Fui bonzinho porque essas dicas deixam a tarefa mais fácil do que roubar doce do Stephen Hawking (que maldade!). Favor deixar as suas apostas do Quiz Cody Shore aí na caixa de comentários – mas já vou dizendo que eu duvido que alguém acerte.
E Feliz Natal, porque o álbum com as fotos do Cody Shore no Picasa é o meu humilde presentinho! A medida que novas fotos surgirem vou adicionando por lá. É eu sei, eu sei: sou mesmo um amor! Quem quiser enviar presentes em agradecimento, favor embalar os rapazes com cuidado pra não sofrerem avarias no trajeto. De preferência anglos, claro. Não que eu vá recusar os outros, mas os anglos tem um espaço particular na minha vida, no meu apartamento, no meu quarto, na minha cam…enfim!

PS: estava com saudades de escrever estes textos mais leves que me dão o direito de falar bobagem sem preocupação. E eu ainda me dou ao luxo de colocar citações culturais – alguém descobre a música do verso no título? Talvez a DNA ofereça agora a inspiração que o The Boy estava falhando tanto em oferecer, mesmo antes do imbróglio com o jurídico do Terra. Azar deles. Eu – e suponho que vocês também – posso achar inspiração em tantos outros cantos, porque homem bonito só parece faltar no site do Terra mesmo.

Update 27/12/2009 – 13hs22min: ou o Quiz não animou ou ninguém nesse blog tem conhecimento enciclopédico em termos de pornografia. Quanto acanhamento, heim? Como eu já previa, ninguém provavelmente tem a mínima idéia de quem se trata, então até amanhã decido se coloco a resposta ou não.

Update 11/01/2010: O Quiz Cody Shore finalmente teve seu acertador há alguns dias – demorei a atualizar com as respostas, desculpem! Pra quem não lê os comentários – FAIL pra vocês -, onde a resposta foi apresentada, vou colocar aqui a resposta.
Ken Ryker: ator pornô da produtora Falcon que lembra Cody Shore (resposta dada por Little J, que ainda sugeriu um outro o qual Cody lembra, o Jeremy Penn).
“Tô Voltando”: música cujo verso foi citado no título do post, em versão da cantora Simone gravada no seu disco Pedaços, lançado em 1979 (esta ninguém acertou).

8 Comments

Revista Júnior #12: todo Matheus Verdelho [fotos]

Eu não gosto muito de colocar fotos de ensaios que não sejam os do site The Boy do Terra por achar desnecessário ficar inflacionando o seteventos.org com ensaios que já estão circulando pela internet, apesar de abrir vez ou outra excessão para álbuns com fotos diversas, como já fiz aqui com Chris Evans, por exemplo. Mas o que importa é que tenho motivos pra esquecer isso por hoje, pois após praticamente ter sumido depois daquele ensaio memorável no The Boy, Matheus Verdelho deu novamente o ar de sua graça, fazendo pose e charminho em mais de uma centena de fotos para a capa de uma edição da tal revista brasileira chamada Júnior. Eu até já tinha visto uma foto do tal ensaio em um tumblog fuleiro de um gringo há cerca de uma semana, mas foi mesmo ontem que recebi o aviso de um visitante do blog – obrigado, Fran! – tão tarado por ele quanto eu de que se tratava da revista Júnior.
É, eu sei, é tudo muito maravilhoso, eu estou aqui dando uivos lancinantes de tesão e me contorcendo em orgasmos intermináveis como um cenobita em uma orgia genocida de sadomasoquismo, mas o fato é que apesar deste ser um momento de teor erótico ímpar para a blogosfera, tudo poderia ter sido bem melhor: o ensaio em si está bastante limitado, resumindo-se a trajar o loirão com diversos looks – que, pra variar, apresenta em algumas fotos aqueles figurinos fashion descabidos, como os óculos tipo palhaço de festa infantil e sunguinha de oncinha – em um ambiente espartano de estúdio fotógrafico. Não sei se foi escolha do fotógrafo Didio – ele de novo, depois do ensaio do The Boy publicado há pouco – ou da revista, mas desse modo tudo fica bastante engessado.
Quanto ao modelo em si, bem, Matheus Verdelho voltou repaginado, e não exatamente isso é algo bom: o rapaz cobriu grande parte de ambos os braços, uma das pernas e a parte esquerda de sua cintura com enormes tatuagens vistosas e multi-coloridas. Tá, eu sou daqueles que acham igualmente sexy um corpo sem tatuagens quanto um com essas decorações, mas o fato é que além de ele ter exagerado um bom tanto na dose, elas realmente não eram necessárias. O modelo brasileiro já era um vulcão de sensualidade exibindo seu corpo de musculatura perfeita ao natural, sem qualquer adorno cobrindo sua pele de uma tentadora tez suavemente dourada e, sendo assim, as tatuagens em nada ajudam, até atrapalham um pouco. Mas, tudo bem, o Matheus Verdelho que tanto amamos ainda está ali, debaixo daquele monte de tinta, exibindo aquele rosto de traços perfeitos com a mesma barba por fazer, o emblemático sorriso safado de gelar a alma, o mesmo olhar de fazer enrubescer até uma puta como Babilônia, aquele corpo malhado naquele ponto exato pra você ficar horas se perdendo em afagos e carinhos. Sim, ele continua um arroubo quando se exibe só de cueca, fazendo qualquer um salivar feito um lobo avistando um cordeirinho e mantém aqueles pelos pubianos inspiradores de tantas…bem, de inspiração, né? Mas, ei, aquele piercing no mamilo…é tão….gay. Não é, assim, meio gay? Mas aquele meio gay bem gay, assim?
Hum….
*divagando*
hummmm….
*divagando e sonhando*
hummmmmmmmm….
*sonhando e já pensando em putaria*
Certo, eu paro, eu paro! Já parei, pronto. É só um piercing e não quer dizer absolutamente nada. Eu que fico arranjando motivo pra ficar tecendo ilusões e pano pra manga pra fazer piadinha no post. Mas, pra falar a verdade, eu não sei se ia gostar do piercing não. Acho que ia atrapalhar na hora que eu fosse mordiscar o mamilo – e eu ia, podem ter certeza.
Mas chega de enrolar. Aproveitem muito essa quase centena e meia de Matheus Verdelho fazendo todos os tipos a que tem direito.

Clique neste link para conferir o ensaio.

3 Comments

The Boy / Agosto 2009: todo Marlon di Gregori [fotos]

Tá, não queria começar com um clichê, mas agosto, mês do desgosto? Se nós considerarmos o site The Boy, posso dizer que eles não tem muito respeito à essa tradição e já nos causaram desgosto sem muito critério em meses outros. No entanto, se verificarmos na história do site, agosto nao costuma mesmo ser um mês com modelos excepcionais, apesar de não costumar ser um completo desastre também. E este ano o site não fugiu a regra ao escalar Marlon Di Gregori, mister Rio Grande do Sul do ano passado.
Apesar do nome meio cafona – não parece sobrenome de “transformista”? – e de não ser exatamente aquele furacão de arrasar centenas de quilômetros e deixar para trás um cenário de completa devastação, Marlon não passaria despercebido pelos mais atentos, já que é alto, tem um corpo muito bonito com músculos harmoniosamente trabalhados e um rosto com traços bem marcantes à la Clive Owen, pontuado por olhos azuis cintilantes – se bem que podem ser verdes, não dá pra saber ao certo – e um nariz grande, que pode deixar um homem bastante atraente, o que é o caso de Marlon. Agora, todos os predicados do rapaz perdem metade do impacto quando os olhos caem naquela incongruência que é seu cabelo. Alguém pode me explicar que idéia é essa de ter mantido para o ensaio aquele corte de cabelo estapafúrdio? Não temos como saber de quem foi a idéia, mas só pode ter sido um lampejo nostágico de alguém que é fã da fase Serious Moonlight de David Bowie ou da Marge Simpson, porque é só isso que me vem a mente olhando esse cabelo totalmente viciado num laquê e completamente inimigo de um pente. Será que não deu pra notar que esse corte “mamãe-levantei-agora-da-cama-e-não-achei-a-escova-de-cabelo” não é nadinha sexy? Pra vocês verem como um corte de cabelo pode destruir a humanidade. Mas sugiro desviar a atenção do equívoco capilar e se concentrar no restante, até porque se o cabelo não é sexy, aquelas pintas salpicadas na pele clara do rapaz são tentadoras e fazem lembrar que Marlon tem sim sensualidade naquele corpitcho.
Voltando a atenção ao ensaio do fotógrafo Didio, temos ali um bom compêndio daqueles settings que já meio que se tornaram padrão no The Boy, e ainda que isso queira dizer que não há nada assim de espetacular, há alguns momentos em que o fotógrafo teve um belo insight de como potencializar a beleza e sensualidade do rapaz, como quando teve a fabulosa idéia de vestir o galalau com uma cueca Mash cinza, acessório que, seja com o garoto em pé ou deitado languidamente em uma cadeira preguiçosa, ressaltou a beleza de todo o conjunto e fez com que mesmo as partes que não são exatamente “portentosas”, como a bunda e a “comissão de frente”, fossem potencializadas e se tornassem bem mais vistosas – é, isso rende um caldo bom em uma noite fria de inverno do sul…embora eu ainda estivesse aguardando o rapaz traiçoeiramente acompanhado de uma bela tesoura de cabelo.

Clique neste link para conferir o ensaio.

2 Comments

The Boy / Julho 2009: todo Victor Benain [fotos]

Todo mundo que acompanha os ensaios do site The Boy do portal Terra já sabe bem que os fotógrafos contratados pelo portal tem algumas sinas, tanto no que se refere na escolha do modelo quanto na configuração do ensaio em si. Dentre as mais recorrentes, posso destacar que os modelos com silhueta esguia e sua personificação como surfistas são das mais exploradas no site. E como Marcio del Nero, fotógrafo responsável pelo ensaio deste mês de julho de 2009, encontrou reunidas no modelo Victor Benain estas duas características, de tanta satisfação ele deve estar se sentido um verdadeiro Sputnik entrando em órbita e desbravando o espaço sideral. Mas vocês bem devem saber que junto com o Sputnik foi a pobre coitada da Laika, que não teve um destino nada feliz nessa história toda – e apesar de adorar cães, eu nao sou ingênuo o suficiente como eles pra ficar dando pulinhos, abanando o rabo e latindo de alegria pra qualquer coisa, principalmente quando aquilo não me contenta.
Bem, nao me entendam mal. Victor é um belo rapaz, com aquela morenice que normalmente me encanta sem muito esforço. Porém, falta Sustagen no rapaz. Não sou assim tão contra modelos esguios como eu mesmo o sou, mas além de eu préprio me bastar em termos de magrinhos malhados, eu acho que pra escolher um modelo com este biotipo ele tem que ter algum diferencial pra causar algum impacto. E ele simplesmente não tem. Tanto não apresenta diferencial que, pior, chega a ser uma espécie de Luke Wilson reloaded, numa versão sem o maxilar proeminente e mais magro do que o ator americano – sim, porque Wilson atualmente está gordo feito um leitão de frigorífico. Então é aquela história: uma graça o Victor Benain, mas não me causa encantamento pra ficar me perseguindo durante dias nos momentos mais inesperados, como quando você se pega lembrando daqueles detalhes fascinantes do corpo do rapaz e se perde em um olhar distante no meio de uma frase que você trocava com um colega de trabalho.
Agora, em se falando do ensaio, temos que admitir que Marcio del Nero instaurou no panteão de personagens dos ensaios do The Boy uma figura inovadora: o surfista de piscina. Alguém aí me explica de onde ele tirou essa idéia? Foi um ataque fulminante de preguicite que não permitou levar a produção para uma praia meia-boca qualquer ou foi restrição orçamentária? Bem, isso nos não vamos saber provavelmente nunca, só vamos desejar que isso não se repita porque ficou muito kitsch. Já que temos aqui tanta coisa emulada da historiografia do site – o jogador de pelada de futebol, o pseudo-nerd com o indefectível óculos de polietileno, o ninfeto do sofá, o modelo da Richards – era melhor tirar a prancha do rapaz e assumir que esta fazendo mais uma sessão de fotos na piscina do que tentar transformar isso em algo diferente ou, se foi o caso, ficar tentando satisfazer o modelo ao inserir elementos de sua personalidade no ensaio. Sim, porque Victor é surfista, daqueles que tem como livro da vida a biografia de Kelly Slater. Uau, Kelly Slater, que deve ter assim uma vida super fascinante pra render uma biografia. Quantas páginas deve ter o livro, duas? Dá pra ver que se o modelo não é bem um catalisador de tesão no quesito físico também não me parece excitar pela sua fulgurante personalidade. A coisa mais surpreendente foi colocar o rapaz, no ensaio fechado, falando no celular. Isso sim deu um ar descontraído às fotos em questão – mesmo que jogar futebol de cueca não pareça a coisa mais natural do planeta, ainda que seja uma coisa bonita de ser ver…ei, os clubes de futebol aí pelo mundo podiam adotar essa idéia. Quem sabe na Copa do Mundo do ano que vem, heim? Nao custa lançar a idéia…

Clique neste link para conferir o ensaio.

5 Comments

The Boy / Junho 2009: todo Ronan Bertoli [fotos]

Estamos em Junho e o modelo que “estampa” o novo ensaio do fotógrafo Cristiano Madureira para o site The Boy neste mês é Ronan Bertoli, catarinense de Joinville, cidade onde já morei por algum tempo e que ganhou muitos apelidos desde sua fundação – cidade das flores, cidade das bicicletas, cidade dos príncipes. E é justamente por conta desta última alcunha que o rapaz faz jus à sua cidade natal: com seu físico torneado mas bastante enxuto, sua pele branquíssima, e seu rosto magro de traços suaves e expressão triste, Ronan tem mesmo todos os requisitos de um príncipe no vislumbre do imaginário mais romântico, mais tradicional. E o problema é que como acontece com quase todo jovem príncipe advindo de um universo de fantasia, a sua beleza transborda uma certa aura de ingenuidade e carece de toda e qualquer carga de malícia – falta no rapaz uma boa dose daquela sensualidade viril que transpira pelos poros do corpo e impregna a atmosfera ao redor. Desta forma, o rapaz, que é sim bastante bonito, acaba por se encaixar com toda tranquilidade nos parâmetros de beleza do movimento romântico, mas não se enquadra nas noções de beleza pós-modernas – nas minhas, ao menos, onde a beleza só arrebata quando manifestada em conjunto com boas doses de sex appeal. Mas, como efebos que transpiram uma certa pureza são o último grito da cultura pop – muito obrigado, Robert Pattinson – é certo que muitos vão adorar este caráter todo inocente da beleza de Ronan, que nem de longe aparenta seus 25 anos – eu poderia dizer que ele tem bem menos que isso.
O ensaio em si, por outro lado, funciona muito bem. A decisão de restringir a produção deste mês à locações naturais dá frescor aos ensaios do site, que de certo modo já consolidou uma cartilha de settings e de composições que poucas vezes os fotógrafos resolveram não adotar nos últimos meses – achei bastante ousada a decisão do fotógrafo Cristiano Madureira de desconsiderar fazer um clique sequer em um quarto, sala, casa, cama ou mesmo uma cadeira ou sofá. Apesar disso, claro, não foi desprezada a já clássica sunga Adidas, praticamente uma marca registrada dos ensaios do The Boy – porém sua participação fica reduzida à uma figuração de luxo, uma vez que está descaracterizada de toda malícia que o modelo poderia lhe oferecer. E o que aconteceu aqui com esta tão característica peça de figurino, a sunga Adidas, acaba por servir como resumo para as fotos do The Boy deste mês: um ensaio elegante e luminoso que, infelizmente, tem como protagonista um modelo que estamparia com bem mais propriedade um periódico adolescente ou um cartaz de filme de contos de fadas.

Clique neste link para conferir o ensaio.

P.S: Ronan Bertoli já tinha sido protagonista de um ensaio no site garoto POP, do portal Pop, que não inspira qualquer interesse, tamanhos são os equívocos cometidos por lá – o que serve, por sua vez, pra mostrar como a produção do The Boy, muito mais inteligente no seu olhar tanto para o todo quanto para os detalhes, dificilmente não consegue deixar um modelo ao menos interessante e um ensaio pelo menos atraente.

5 Comments

The Boy / Maio 2009: todo Eduardo Tesch [fotos]

O capixaba Eduardo Tesch, modelo do mês de maio no The Boy, tem uma expressão algo infantil no rosto, o que apesar de lhe conceder um encantador olhar inocente e terno, algumas vezes também deixa aquela expressão intolerável de “bobo da corte” de turma de colegial. E apesar dessa expressão jovem que o moço detém, com o cabelo molhado lhe ocorre o oposto: nessa configuração seus traços pesam e são razoavelmente envelhecidos, destacando alguma desarmonia nos elementos do rosto e fazendo-o aparentar um pouco mais do que seus 25 anos. Porém, mesmo que a fisionomia de seu rosto não funcione sempre, com a produção certa o rapaz rende uma diversão descompromissada. De perfil, com o olhar mais cerrado, o rapaz até manifesta um semblante mais sexy e atraente. Mas é o corpo do garoto, claro, o lugar certo pra concentrar esforços: a musculatura definida, que se contenta com o porte atlético e tem como seu maior charme os pelos curtos, nitidamente aparados, torna-o suficientemente sedutor para proporcionar algumas horas de entretenimento leviano. A bela cabeleira farta, desde que não esteja úmida, além de lhe dar um ar juvenil e maroto, também seria uma fonte de recreação adicional – eu, ao menos, não me negaria a ser um agente de afagos e cafunés. Todavia, em relação ao modelo, ficamos mesmo por aqui – não há atributos suficientes que justifiquem muitos comentários.
Quanto ao ensaio em si, confesso que a temática rústico-pastoril me agradou. Isso combinado com a luz natural que irradia tudo com o frescor aconchegante do outono confere elegância à maior parte dos registros. Também ajuda a perspicácia da produção e do fotógrafo Felipe Lessa em ajustar o rapaz à sintonia do ambiente, caracterizando-o – até convincentemente – como um caipirão com o clássico macacão jeans ou como um lenhador desinibido em calça de pijama. É provavelmente por esse esforço em acentuar o que o modelo tem de bom com a qualidade do registro e da temática que Eduardo tenha rendido uns retratos de aguçar os sentidos: a foto em que ele dá carão, ostentando um olhar petulante com um semblante e pose atrevidos é de causar salivação imediata, assim como se mostra tentador o seu físico bem torneado no registro em que o rapaz se estica como quem se espreguiça incentivado pela luz confortável do sol, usando um edredon como única salvaguarda da completa nudez. Pra ser sincero, é daqueles ensaios bonitos e bem executados pra fazer volume ao ano, mas que não cativam suficientemente para tornarem-se notórios – porém, um ou outro momento mais inspirado pode resistir por algum tempo na memória afetiva por conta de, digamos, um “estímulo de ordem mais prática”.

Clique neste link para conferir o ensaio.

4 Comments

The Boy / Abril 2009: todo Tiago Vieira [fotos]

Meu presente de aniversário (adiantado) dado pelo site The Boy do Terra é o paulista Tiago Vieira, de 25 anos. Bem que eu merecia um mimo mais condizente com meu gosto irritantemente exigente. Custava contratar o Marcos Pitombo pra fazer um ensaio com o Cristiano Madureira? É, talvez custe mesmo, visto que o Terra está colocando cada vez menos fotos nos ensaios. Bem, deixa pra lá.
Voltando ao modelo: não que ele não seja bonito, de forma alguma. O rapaz tem um corpo muito bem talhado, uma pele morena sedutora e um rosto bastante gracioso. Ele apenas não se encaixa no meu tipo mesmo. Mas eu confesso: bem que ele fica encantador quando sorri, seja este um sorriso mais aberto ou mais tímido e discreto. Agora, saindo totalmente da questão física, alguém aí lembra de algum modelo do The Boy que não tenha citado entre suas leituras coisas descaradamente óbvias, como a Bíblia, O Segredo ou O Código Da Vinci? Eu não. Acho que é a primeira vez que vejo um modelo do site citando como livros preferidos A Divina Comédia e Hamlet (não sei se Quixote seria o Dom Quixote). Aliás, não me recordo de ter conhecido ninguém pessoalmente que tenha lido A Divina Comédia além de mim. Ponto pro rapaz no quesito inteligência. O problema é que esse ponto veio acompanhado de um tiquinho de desconfiança. Err…vocês entenderam, né?
Quanto ao ensaio em si, devo dizer que o fotógrafo Didio, na minha opinião, está ficando mais consistente no The Boy. Esse caráter naturalista de sua fotografia, a despeito de ter gerado uma iluminação irritante na primeira parte do ensaio fechado, tem méritos. No ensaio aberto, Didio conseguiu extrair variedade considerável utilizando o mesmo cenário, uma praia, em quase todas as sessões desta porção do ensaio de Tiago. Saindo da beirinha do mar, Didio também foi feliz na escolha do setting: o fotógrafo obteve belas fotos dentro e fora do sobrado que usou como cenário – a paisagem ao redor da casa é tão exuberante que chega a deixar o modelo como figurante em algumas fotos. Mas Tiago também ganha destaque, já que combina com a ambientação, soando tão natural ao posar nu em um banco de madeira rodeado por uma vegetação rústica quanto quando deita de bruços em uma cama com a mesma vegetação ao fundo, que parece tão convidativa pela porta aberta quanto o rapaz ali deitado lançando um olhar sedutor. Agora, Didio, pedindo licença a Marina Lima, confessa aqui pra mim, à meia voz: você, como eu, também já viu as fotos na poltrona em outro lugar, né?

Clique neste link para conferir o ensaio.

11 Comments

The Boy / Março 2009: todo Lucas Malvacini [fotos]

Depois de me frustrar em fevereiro com um modelo que não correspondeu aos meus anseios, o site The Boy subiu alguns degraus com Lucas Malvacini, o eleito para o mês de Março. Este moreno mineiro de apenas 19 anos é dono de um corpo bem esculpido e não se pode dizer que seu rosto não tem traços encantadores, mas é justamente ali que alguns pequenos detalhes atrapalham o conjunto, já que seus olhos enormes e sua boca também razoavelmente carnuda de dentes grandes competem com as orelhas vistosas. Porém, nem todos os traços excessivos de seu corpo causam desagrado, é justo afirmar. Há um em particular que capta a nossa visão logo na primeira sessão de fotos e causa um, digamos, calor encantador: para felicidade do rapaz ele também foi sorteado para ter um volume magnânimo nas áreas adjacentes, algo tão visivelmente portentoso que qualquer foto que o garoto tira de cueca deve ser motivo de orgulho para ele. E não há como, tendo esse rapaz seminu na frente e uma câmera na mão, não tirar proveito disso – e como o contratado para realizar o ensaio foi o fotógrafo Cristiano, dos mais inteligentes e sensatos a figurar no portifólio do The Boy, ele não deixou de dedicar bastante atenção à esse aspecto do físico de Lucas.
E já que falamos no fotógrafo, o ensaio feito por Felipe Lessa está bastante inspirado, variando bastante nas ambientações e nos enquadramentos – de certo modo fazendo até um apanhado das composições mais famosas dos ensaios do The Boy até hoje – sem atrapalhar demasiadamente a observação do modelo e de seus atributos – e bem sabemos que isso pode se transformar num problema quando os excessos de inventividade do fotógrafo as vezes interferem na apreciação adequada dos atributos do modelo pelo público. Particularmente, achei fabulosa a foto com o ângulo de visão inferior enquanto o rapaz mete a mãozona dentro da bermuda ao se apoiar de costas na escada de madeira, assim como achei perfeita a escolhida para abrir o ensaio, já que, enquadrando o garoto naquela posição a imagem dá ênfase perfeita à musculatura do peito, braços e ombros do rapaz e consegue até mesmo minimizar os problemas no rosto de Lucas – ambos os retratos provam como um bom fotógrafo pode realmente amenizar os pequenos defeitos do fotografado e torná-lo até mais atraente do que na verdade é. Tá, eu adorei todas as fotos de cueca, óbvio. Quanto a parte fechada do ensaio, ela acaba não se destacando tanto quanto poderia, mas sem dúvidas que fotógrafo e modelo conseguiram entrar em sintonia na sessão com a cadeira de praia – é visível que há algo de bem libidinoso naquelas imagens. A única coisa estranha é a predileção pela não utilização de fotos com a coloração natural. Todas as fotos estão em preto e branco, sépia ou alguma outra variação dentro do estilo monocromático – não é algo exatamente ruim, mas sempre é bom ter ao menos algumas imagens nas quais podemos apreciar a verdadeira cor da pele e dos olhos dos garotos.
Agora fica com vocês: usem à vontade o campo de comentários para deixar público as impressões de cada um sobre o ensaio – respeitando sempre as regras expressas logo acima do espaço para comentar, claro.

Atualização-Update 20/04/09: o fótografo Cristiano Madureira entrou novamente em contato com o blog para esclarecer a dúvida exposta no comentário do leitor Rodrygo. Segundo Cristiano, a surpreendente semelhança entre as cores utilizadas no ensaio que produziu e as utilizadas na apresentação da banda Radiohead em São Paulo, na qual ele esteve presente, foi puramente uma coincidência. Quanto à revista Pop, o fotógrafo declarou que ela nunca foi influência nos ensaio produzidos para o portal Terra.

Clique neste link para conferir o ensaio.

15 Comments

The Boy / Fevereiro 2009: todo Roni Mazon [fotos]

Já perdi a conta de quantas vezes eu disse aqui – e mesmo fora daqui – de como adoro um moreno de olhos castanhos ou escuros. Não que eu não curta morenos de olhos claros ou loirões, eu caio de amores por eles – basta lembrar dos modelos loiros do The Boy por quem eu sou simplesmente tarado (oi, Matheus Verdelho!), ou pensar, vejamos, naquele loiro belzebu que é Paul Walker. Mas é que esses morenos aos quais me refiro fecham direitinho no meu ideal, por assim dizer. Não à toa, por exemplo, tenho uma sina obssessiva por Ben Affleck, Matthew Fox e Ryan Reynolds – imagino que alguém aí deve estar gritando que Ryan é loiro, mas pra mim ele sempre pareceu moreno e além do que eu tenho mesmo uma certa deficiência em discernir alguns tons. De qualquer modo Ryan Reynolds é moreno pra mim e não tem conversa (risos). Mas pra quê eu disse isso tudo, ora porra? Ah, é só pra explicar que Roni Mazon, modelo deste mês de fevereiro no The Boy, definitivamente não é meu tipo de moreno (ei…ele é moreno, né?).
Corpo definido, malhado, gostoso temos ao borbotões no The Boy e chega a ser brincadeira hoje em dia encontrar esses corpos desfilandinho aí pelas ruas das cidades do nosso Brasil varonil. Roni tem esse corpão, isso é bem nítido, porém os traços de seu rosto não me agradam – a boca e o nariz vistosos não convivem harmonicamente com seu rosto magro, algo triangular. Pra ajudar mais ainda a discrepância reinante em sua face, o corte de cabelo do rapaz tem aquele ranço anos 80 que fez a fama de John John (o Kennedy) – e não há tesão que resista à esse paradigma da breguice na década de 80 (me refiro ao corte de cabelo). Tivesse Roni Mazon, ou a produção do ensaio para o The Boy, dado mais atenção ao tino para a beleza contemporânea, que certamente eles devem ter, perceberiam em poucos segundos que esse cabelo não é um sinal de charme em nenhum ponto do ocidente, por mais remoto que o lugar seja.
E já que falamos em produção, devo dizer que o ensaio em si não foi ruim, variando bem nas locações e figurino escolhidos e com um uso bastante coerente de fotografia. Os únicos problemas ficam por conta do traje de fazendeiro. Primeiro, porque convenhamos que aquelas botas imensas não fazem mais do que esconder as pernas do modelo, e segundo que a calça mais alva de que as penas mais brancas da pomba da arca de Noé, combinada com a fotografia que faz vazar toda a luz da Via Láctea deixa qualquer um mais cego do que se tivesse visto essa luz, que só pode ser Jesus – com a licença de Roberto Carlos. Pontinho negativo também para a insistência em economizar nas fotos de nu que venho notando em alguns dos últimos ensaios do site – já não basta ter diminuído consideravelmente o número total de fotografias ainda inventam essa modinha de ficar regulando fotografar o modelo sem roupa? Vamos parar já com essa palhaçada de fazer doce com a nudez dos rapagões porque até a igreja católica está tirando proveito da beleza de seus párocos (não, safadinhos, os padres não ficam nus), e olha que isso não é de hoje não, viu?
Deu pra perceber que pra mim foi bola fora, não é? Mas quero saber mesmo quanta gente concorda e discorda de mim, e como sempre espero que vocês o digam no campo de comentários.

Clique neste link para conferir o ensaio.

9 Comments

The Boy / Janeiro 2009: todo Fernando Bacalow [fotos]

Pode ter sido pura coincidência, mas não há como não pensar em um bocado de oportunismo ao descobrir que o primeiro modelo do ano de 2009 no The Boy do Terra é Fernando Bacalow, também conhecido como Fernando Luiz ou ainda mais conhecido como Justin (o que eu nunca entendi porquê, por sinal), justamente no mês em que a Rede Globo dá partida ao seu reality show anual mais rentável, o Big Brother Brasil. Se isso já não se configurasse ao menos como um sinal de preguiça ou de uma vontade de tornar o site desnecessariamente mais popular, há um outro, e todos já devem imaginar qual é. Como a maior parte dos gostosões candidatos a (sub)celebridade que entram no programa, Fernando já foi clicado pelo site Paparazzo, o único que pode ser considerado rival do site de ensaios fotográficos do Terra. E, sendo assim, é inevitável retomar o ensaio anterior do rapaz para estabelecer uma comparação final, mesmo que breve, do que foi obtido por ambos, já que bem poucas vezes ambos os sites fizeram uso mútuo dos mesmos modelos.
Antes de qualquer coisa, vamos olhar o modelo com atenção. Fernando tem um corpo lindo, quanto a isso não há um porém sequer: peitão volumoso, daqueles que você sente olhando que as mãos tem muito onde pegar, tudo adornado por mamilos bem morenos, abdômen liso e uniforme, braços fortes na medida certa, um bom par de pernas peludas, uma bunda cheinha, muito bem desenhada e um volume considerável na parte da frente da cueca, emoldurado por uma bela quantidade de pelos escuros – no quesito corpo, não há o mesmo do que reclamar. Minha implicância com o chamado Justin, pra variar, é com a combinação de traços do rosto, já que o conjunto formado por nariz, boca e queixo não lhe favorece muito. O morenão só fica realmente com um rosto agradável de se olhar quando esboça o sorriso maroto de que dispõe. E aí é que se forma o maior problema do ensaio de rapaz para o Terra. Sabendo de antemão que o moço tem o melhor de si quando esboça um sorriso, o que qualquer pessoa no lugar do fotógrafo faria? Tentaria obter do moço um belo sorriso em ao menos um quarto das fotos, claro. Mas contam-se nos dedos das mãos os momentos em que Fernando foi clicado exibindo seu ar mais declaradamente alegre. Na maioria esmagadora do ensaio o rapaz mantém uma expressão séria, quando não uma carranca fechada – o que poderia ser sexy em outro rosto, mas não é o que se obtém, deste modo, no seu.
O outro problema é o fato de que alguns dos atributos mais vistosos do rapaz nao foram completamente aproveitados – a bunda do rapaz poderia ter sido mais e melhor explorada em mais alguns bons cliques, sem necessariamente desnudá-la inteiramente – e o mesmo pode ser dito da parte da frente.
Mas há pontos bem positivos na realização deste ensaio. O mais evidente deles é a variedade de ambientes, vestuário e temática, deixando nas fotos a impressão de que há Fernando para todos os gostos e preferências. A iluminação também foi utilizada com bastante perspicácia, já que ela ajuda a deixar nítidos os belos detalhes do corpo do rapaz, como sua pele com um bronzeado moreno delicado, os pelos que que cobrem suavemente boa parte de seu corpo e algumas pintas tímidas nas suas costas. E, embora o número de fotos continue sendo insistentemente menor, em boa parte das fotos a beleza do rapaz é bem retratada, inclusive na sessão fechada, que consegue captar razoavelmente a virilidade e o apelo sexual provocante desse garotão moreno.
Comparando este ensaio com aquele feito há alguns anos para o Paparazzo, eu diria que há um empate técnico. Por mais implicância que possamos ter com a falta de qualidade, criatividade e ousadia do site de ensaios do portal globo.com, posso afirmar que tanto um quanto o outro soube explorar de Fernando aquilo que mais se adequava a proposta do site: não se revela tanto dos detalhes físicos mais libidinosos do famoso “Fernando Justin” no Paparazzo quanto no The Boy, mas excetuando-se a sessão “sou mano do morro” (dica: procurem os óculos ridículos), a produção da globo.com soube bem utilizar de recursos e alguns artifícios para explorar, dentro das limitações impostas, o tesão que o rapaz desperta nos olhos de qualquer pessoa – basta dar uma espiada na sessão de fotos em que o então Fernando Luiz exibia toda sua volúpia e sensualidade apenas com a ajuda de um boné, uma calça cargo de estilo militar e alguns “elementos de cena”, como uma corrente enferrujada.

Clique neste link para conferir o ensaio – o álbum também inclui o primeiro ensaio do modelo no Paparazzo.

8 Comments